Numero de visualizações

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Em Leopoldina e região, rádio também vive momentos difíceis como a Rádio TUPI

Um símbolo nacional como já foi a Radio Nacional do Rio, a Rádio Globo e era a Rádio TUPI do Rio está mostrando a realidade no meio radiofônico. No mês de dezembro após os funcionários ficarem quatro meses sem salários e um décimo terceiro atrasado eles fizeram uma paralisação de 48 horas, deixando a rádio TUPI fora do ar como alerta. Ai a população do Rio de Janeiro, bem como do Brasil tomou conhecimento da grave crise financeira que a empresa vivia. Mas retornaram e as coisas não evoluíram, fizeram paralisações de 24, 48 e 72 horas e desde o dia 30 de dezembro foi greve geral dos cerca de 200 funcionários da emissora e com isso a emissora começou a tocar só músicas e hoje com propagandas. 
A situação é um verdadeiro caos, em 05 de janeiro completou 5 meses sem salário e dois décimos terceiros atrasados (2015 e 2016) e o majoritário Diários Associados não se manifestou em como resolver tal questão. Lembro que a Rádio TUPI há anos era a líder no grande rio e tinha um jornalismo atuante, sendo destaque no dia a dia, no esportes e comunicação. Boatos de venda para minoritários surgiram, mas quem comprar irá assumir o passivo (dividas) da emissora que ao que parece é enorme. 
Mas não se iluda esse não é um caso singular, único, a própria Globo criou a sua rede de rádio centralizando a programação no Rio e em São Paulo, com isso a cadeira de rádio deixa muitas vezes de dar cobertura a algumas cidades falando só da cabeça da rede e dizem que alguns profissionais estão sendo dispensados e não há divulgação, o mesmo acontecendo com o sistema globo em um todo, jornalista com 18 a 20 anos de trabalhos prestados estão sendo demitidos da TV GLOBO e GLOBO NEWS. A situação é gravíssima pois os autos custos de manutenção das emissoras, os autos salários e a baixa procura de anunciantes se refletem na qualidade das emissoras. 
Quem não se lembra da TV TUPI, ou já ouviu falar, que também era dos diários Associados e foi a falência e perseguição da repressão militar da época. Hoje o Diário dos Associados conta com 48 veículos de comunicação^sendo 8 jornais (em Minas Estado de Minas), 2 revistas, 13 rádios e 9 emissoras de televisão (TV Alterosa em Minas), 9 wibsites e outras 8 empresas, mas a crise deve estar atingindo grande parte das empresas do grupo.
Mas vamos trazer essa demonstração para a nossa cidade, não é segredo de ninguém que aqui em Leopoldina já tivemos vários jornais que já circularam e fecharam, já tivemos emissora de tv educativa que fechou por irregularidades na concessão e com a cassação do ex deputado Federal Sérgio Naya, rádio Sirene que funcionou na antiga escola parque (hoje cefet) que foi fechada na época dos militares e hoje temos a Rádio 104 FM, Rádio Luz (Comunitária) e a Multisom Rádio Jornal AM, sendo que a AM é um exemplo de problemas enfrentados em sua recente história, há alguns anos o SISTEMA MULTISOM que era do grupo do Ivan Botelho ligado a antiga Cia. Força e Luz Cataguases Leopoldina e chegou a ter 18 emissoras de rádio e se desfez totalmente a rede, no caso de Leopoldina foi vendida para um grupo de três pessoas: Bené Guedes (que segundo informações ainda assina pela emissora por causa da documentação estar em seu nome), João Ricardo e José Geraldo Machado (Gué), na época eles assumiram os passivos trabalhistas e outros setores da emissora como dívidas com governo de obrigações trabalhistas, dívidas da emissora com vários setores, inclusive impostos e durante o seu governo frente a prefeitura o ex prefeito resolveu desfazer do negócio em no final de 2011, junto com os demais sócios, a sua parte para Roberto Bretas, nesses 4 anos a frente da emissora com as dívidas parceladas muita coisa foi quitada e ao venderem os antigos donos, que na realidade não queriam a emissora e sim o seu terreno no alto do Bairro Joaquim Furtado Pinto (Coab nova), tanto é verdade que a venda da emissora não entrou o local do transmissor só a concessão em si e hoje a emissora deve pagar aluguel do local para manter o transmissor no ar. Em 2015 um grupo liderado pela emissora evangélica Melodia de Cataguases adquiriu a emissora e pouco depois o seu ex sócio, José Geraldo Machado (Gué) retornou a direção junto com Alexandre Ferreira de Cataguases, a situação da emissora na parte financeira não é das melhores segundo se comenta e com dificuldades há o pagamento dos salários e despesas, sendo o reflexo de uma emissora que há mais de 65 anos deixou a sua história ir por água abaixo. 
É claro que irão dizer é fator crise, é a concorrência e eu acrescento é a falta de presença na comunidade, a acomodação de seus colaboradores, censuras nos editoriais e outros fatores.
Hoje temos a 104 FM que parece que vive um bom momento, sendo que atinge realmente toda a região e com a administração  do Narley Ferreira Pinto, ex funcionário da Sersan vem mantendo a emissora, tanto em Leopoldina, Cataguases e Muriaé e segundo sei está reformando e modernizando o seu estúdio em Leopoldina e pelo que sei, apesar de não o conhece lo pessoalmente é uma pessoa que é centrada, não do ramo radiofônico mas faz um bom trabalho nas três emissoras e não há comentários de crises em seu grupo radiofônico, pelo menos que eu já ouvi falar.
Há a Rádio Luz, que originalmente era pertencente ao ex deputado e ex prefeito Bené Guedes e hoje é do Antonio Benício (Majoritário) e Ubiraci Bartoli (Bira) que faz um trabalho modesto de musical e se mantém, tendo dificuldades por causa do seu alcance modesto só dentro de parte da cidade de Leopoldina devido a ser comunitária.
Na realidade a Rádio Jornal é um exemplo de erros consecutivos que podem se comparar com a Rádio TUPI, há anos atras ainda nas mãos do SISTEMA MULTISOM tinha a Gazeta de Leopoldina e os dois veículos se unificaram e colocou-se João Bosco Cerqueira como seu feche, ai depois de anos o mesmo saiu, houve um período em que ficou arrendada para o Omar Peres e seu grupo de comunicação e nesse período a Gazeta de Leopoldina, um dos jornais mais antigos do país parou de vez de circular e seus arquivos foram para Cataguases,  depois em recente passagem o grupo Bené-João Ricardo- Gué trouxeram o mesmo para a direção da emissora e não deu certo também, não sei o por que? 
Agora surge novamente o boato que João Bosco Cerqueira está sendo consultado pelo atual representante majoritário da emissora AM, Rádio Jornal, para reassumir a parte da direção de propaganda ou algo mais na emissora, o certo é que a modernidade deixou no caso da emissoras do interior o trabalho mais modesto, gravações, falta de correr atrás da notícia e um jornalismo mais atuante com presença em todos os setores ao vivo fazem o rádio perder seu brilho, sua eficiência, ouvir o povo, participar do dia a dia do povo, ouvir reclamações, elogios, as duas partes da noticia fazem parte da credibilidade e eu acredito que se o trabalho for bem feito isso gera audiência e consequentemente credibilidade e retorno financeiro. É claro é hora de fazer economia, de reduzir custos, melhorar a qualidade dos profissionais e acima de tudo trazer para o rádio, principalmente no interior, alguém que agregue valor pela sua presença e não para causar polêmicas apenas e junto do mesmo não vir o retorno financeiro desejado ou mais dor de cabeça. 
A RÀDIO TUPI está do jeito que está por mal administração, por certo maquiaram os números, venderam o peixe além do que poderiam e apesar de ser líder não administraram os bastidores e a bomba estourou. 
Ao encerrar as opiniões aqui são minhas e não tenho nada contra as pessoas mencionadas e principalmente contra o João Bosco Cerqueira com o qual já trabalhei por duas vezes e por divergências de opiniões uma vez pedi demissão e outra a mando dos proprietários da época da rádio Jornal (Bené, João Ricardo e Guê) romperam o contrato de sessão de espaço alegando que "não fazia o perfil da emissora", sendo que o mesmo cumpria ordens superiores.
Hoje estou afastado do meio radiofônico por incompetência minha e por não me adequar as condições que algumas emissoras que estão no ar impõem aos profissionais das rádios e sinceramente espero que uma luz surja na cidade e que as emissoras que estão no ar não fechem e há esqueci de dizer existe uma concessão desde 2013 de uma rádio pertencente a um grupo da Bahia, Rádio Tipuana, que nunca foi ao ar, uma FM e sinceramente se tivesse condições teria pego essa concessão. Segue abaixo as concessões de rádio e tv na cidade de acordo com as informações retiradas do governo federal no dia 18 de janeiro de 2017.

Bairro Bandeirantes reclama da falta de passagem de caminhão de lixo

Os moradores do bairro Bandeirantes reclamam que o caminhão de lixo não está passando no bairro e a imagem é de vários pontos com lixos pendurados e a proliferação de mal cheiro e mosquitos no bairro inteiro.
Aguarda-se um posicionamento da empresa responsável pela limpeza na cidade e uma cobrança maior por parte da Prefeitura.






Cobrança de anuidade da Carteira de Habilitação é falsa, cuidado é golpe

O Ministério das Cidades/Denatran emitiu uma Nota Oficial no final da tarde deste quarta feira (18), onde desmente um boato que está correndo as redes sociais e que dá conta que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) terá uma taxa anual de R$ 289,00.

De acordo com o Denatran, a informação É FALSA.

NOTA OFICIAL
"Nota ? Cobrança anuidade Carteira Nacional de Habilitação

O Ministério das Cidades/Denatran, esclarece que a mensagem sobre "anuidade para portadores da CNH agora é Lei", que circula em redes sociais e aplicativos, nesta quarta-feira (18), é falsa.

Portadores da Carteira Nacional de Habilitação não pagam anuidade. Contamos com a colaboração de todos os veículos de comunicação para desmentir a informação, a fim de prevenir todos os cidadãos contra golpes que possam ser aplicados em nome da instituição."



TV ATIVIDADE de Muriaé esta no ar sem programação local

A Rede Atividade de Televisão em Muriaé está com apenas 02 ou 03 funcionários levando ao ar a programação da TV Cultura de São Paulo e não há mais programação local na cidade. Todos os demais funcionários foram dispensados em dezembro conforme já havia sido noticiado pelo meu blog. Não sei qual a intenção dos proprietários e responsáveis pela emissora que faz parte da Fundação Cristiano Varella, ligado ao ex deputado Lael Varella e atual deputado Misael Varella. 
Em Leopoldina conforme pude verificar há uma concessão de retransmissão da Fundação no canal 55, que é para rede educativa e poderia ser colocada no ar para transmitir em sinal aberto para a cidade a TV Cultura e caso haja nova programação local em Muriaé poderia ser retransmitida aqui. Espero que o momento de crise passe e que a reestruturação da emissora possa fazer com que realmente volte a funcionar com matérias locais e regionais.
Como homem apaixonado por comunicação espero que as emissoras regionais e locais se superem com criatividade, seriedade e um trabalho de gestão eficiente.

Novos estúdios da 104 FM de Leopoldina já estão em funcionamento

Após a publicação da matéria focalizando as rádios de Leopoldina meu amigo Ed Montan me enviou fotos do novo estúdio da 104 FM que mencionei na matéria e que já está em funcionamento. Há alguns detalhes a serem complementados, mas o visual do novo estúdio trás mais modernidade, conforto não só aos funcionários, bem como os convidados que lá frequentam e o que chamou a atenção a claridade proporcionada pela cor escolhida. Provavelmente novas novidades poderão surgir nos próximos dias com a finalização dos novos estúdios. Parabéns a equipe da 104 FM pelo belíssimo estúdio e conforme já mencionei hoje a FM é a única que realmente atua em caráter regional e ultrapassa até os limites do estado de Minas e tem pessoas que gostam de fazer rádio em seus quadros, apesar de não ouvi-la normalmente, posso citar Ed Montan, Berto Oliveira, Emanuel Azevedo e Edinho do Rádio. 

CRAS de Recreio teve furto de materiais nesta semana

Nesta ultima terça feira, dia 17 de janeiro, a Polícia Militar de Recreio por uma funcionária do CRAS daquele município que se chama Isabela Martins, que ao chegar para trabalhar pela manhã, juntamente com os demais funcionários observaram que a porta de vidro da frente do estabelecimento aberta e depois mais duas portas de vidro da lateral estavam abertas. A perícia da Polícia esteve no local e segundo informações preliminares não houve arrombamento das portas.
No local foram observadas marcas de pés nas paredes, supondo que houve uma escalada pelo muro e como não há câmeras de monitoramento no prédio do CRAS não há registro, bem como em câmeras próxima ao local de outros estabelecimentos não captaram nada da ação.
Já há um estudo pelo prefeito José Maria Barros para colocação em todos os locais pertencentes a prefeitura de um sistema de monitoramento e segurança.Após a perícia ficou constatado o roubo de uma televisão e uma câmera fotográfica. A polícia continua com as investigações visando esclarecer o furto.

Recreio irá receber o Cozinha Brasil SESI MG em fevereiro com 70 vagas

Nesta terça, dia 17 de janeiro, a Prefeitura Municipal de Recreio e o SESI MINAS fecharam uma parceria visando a vinda do projeto Cozinha Brasil, que consiste em um curso que ensina o preparo de alimentos saborosos e nutritivos de baixo custo, sem desperdícios. O projeto está programado para ser realizado no CRAS, em dois turnos, 13h as 16:20 e 18h as 21:20h, nos dias 7, 8 e 9 de fevereiro de 2017. Serão oferecidas 70 vagas por período, com prioridade para beneficiários de programas sociais. Para garantir a sua vaga, no ato da inscrição, o interessado deverá estar acompanhado com cópias de RG, CPF e comprovante de residência. A reunião para o fechamento da parceria contou om a participação do secretário de Desenvolvimento Social, Diego Pena, do secretário de Finanças, João Carlos Cunha de Barros, do coordenador do CRAS, Marcelo Andrade e o consultor do SESI, Davidson.
O projeto visa dar opções de melhoria nutricional a baixo custo e já veio a Leopoldina por mais de 10 vezes sempre sendo um sucesso e tendo uma ótima aceitação, quando da existência do SESI Leopoldina e sua última vez em Leopoldina foi em novembro de 2015.


Rádio TUPI não foi vendida até o dia 07 de janeiro conforme informa Sindicato dos Radialista do Rio

ERRATA: até o momento, venda da Tupi é especulação

ÃO, A RÁDIO TUPI NÃO FOI VENDIDA.

As negociações seguem avançando, porém existe mais de uma proposta e é extremamente irresponsável divulgar uma notícia baseada em boatos, como fizeram algumas pessoas e sites jornalísticos nos últimos dias - inclusive o nosso. Lamentamos muito por este erro. Um equívoco que resultou em falha na comunicação entre alguns diretores e a equipe de mídia e notícias do nosso sindicato. Portanto, vamos deixar bem claro o que está acontecendo:

Estamos em greve pelo pagamento de salários atrasados de todos os funcionários da Rádio Tupi, e não para "escolher patrão". O objetivo da greve não é a venda da emissora ou não. Acontece que, ao longo do processo de greve, fomos procurados por sócios minoritários da rádio que apresentaram condições financeiras de pagar estas dívidas e estavam interessadas em comprar as ações majoritárias da Tupi (especificamente do grupo "Diários Associados", dono da emissora). Uma dessas pessoas foi sim o empresário Paulo Abreu (cuja negociação está em andamento, mas ainda não possui nenhuma garantia), porém há outras propostas de terceiros interessados na compra, e até donos atuais dispostos a tentar resolver o problema. NENHUM PAPEL FOI ASSINADO AINDA.


A ansiedade de quase 200 famílias esperando uma resposta que garanta seu futuro, que devolva seus salários para poder pagar suas contas, está impregnada em nós, que acompanhamos tão de perto essa luta. Essa conexão nos dá força para continuar na luta, que tem avançado muito, mas todos precisamos ter cuidado para não sermos levados por qualquer fragilidade, e nos manter firmes e céticos! 
A situação da Tupi só ganhou visibilidade por causa da força dessas centenas de trabalhadoras e trabalhadores, e está até levando jornalistas a descerem ao nível do boato para tentar ganhar um "furo" de reportagem. Mas tenha certeza: qualquer movimentação de compra ou venda da Tupi será informada aqui e estaremos mais atentos do que nunca para trazer informações verdadeiras.
Caso você, que acompanha nosso site e nossas redes sociais, tenha passado a diante a informação errada de que a rádio foi vendida, por favor nos ajude a minimizar esse dano avisando a seus colegas que foi tudo um grande boato.

Mais uma vez, reiteramos: esta greve não é pela venda da rádio nem nunca foi. E enquanto não forem pagos integralmente os trabalhadores e as trabalhadoras às quais a Rádio Tupi está em dívida há tanto tempo, NOSSA LUTA CONTINUA!



terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Caixa Eletrônico é roubado com maçarico no prédio da Prefeirura

Um posto de Caixa eletrônico da CEF Caixa Econômica Federal localizado na parte de baixo da prefeitura Municipal de Leopoldina, na rua Lucas Augusto foi arrombado com a ajuda de um maçarico durante a madrugada. No local há câmeras de segurança, não sei se funciona e dois caixas. Sendo apenas um o atingido pelo roubo, há também um vigia da prefeitura que geralmente ronda o prédio e fica na parte da frente do mesmo. A polícia já deve estar fazendo o s trabalhos de praxe e novas informações serão divulgadas na imprensa local: como a quantia furtada e outros detalhes.
A Policia Federal com seus peritos estará vistoriando o local e juntamente com a Polícia Civil assumirá as investigações. Segundo informações um varredor de rua foi que acionou a polícia.

Tristeza no bairro Três Cruzes após falecimento em acidente

Trecho que os moradores solicitam instalação de radares eletrônicos
A comoção tomou conta do Bairro três Cruzes nesta segunda e terça feira, mais um acidente na Brincadeira 116, no trevo que dá acesso ao Bairro. O pior os envolvidos todos do local, um veículo ontem por volta das onze horas bateu numa moto e dos dois ocupantes um faleceu na hora. Trata-se de Rondônia Carvalho,  38 anos, casado e que teve morte instantânea. A tristeza de parentes e amigos foi demonstrada no velório na Capela Mortuária durante toda a noite e madrugada.
O outro ocupante e que pilotava a moto foi levado foi levado ao hospital e operado.
A mãe desolada até a madrugada não tinha ido ver ao velório. O mesmo será sepultado nesta terça pela manhã. Fica o pesar e mais uma vez o apelo dos moradores com a colocação de um radar eletrônico no trecho para amenizar os acidentes. O DNIT com a palavra, já que as lombadas no local não resolveram.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Recursos repassados pelo Governo Federal e Estadual a alguns municípios em 2016

Nesta tabela pegando os dados do Portal transparência dos governos Estadual e Federal podemos notar que Leopoldina está em quarto lugar em conseguir recursos e em matéria de ICMS, IPE e IPVA. Como gosto de estatísticas coloco aqui os dados para demonstrar como a nossa cidade está aquém dos principais municípios que temos perto.

Em termos de população dos municípios acima temos:

Portal da Prefeitura de Leopoldina no quesito transparência está totalmente desatualizado

Já critiquei o portal da Câmara de Vereadores de Leopoldina por não dar transparência as informações da mesma e segundo o diretor de imprensa, Arnaldo Spindola, em breve os dados estarão disponibilizados por ordem do novo presidente Pastor Darci Portela. 
Mas olhando o portal da Prefeitura Municipal de Leopoldina pude notar que há dados bem atrasados e desatualizados, sendo que a última atualização foi em 15 de outubro de 2016;
Há casos que se procurarmos 2016 não encontramos, os contratos firmados por data de assinatura só aparecem até maio de 2016, restos a pagar só aparece de 2015 e 2014, ou seja, em termos de transparência não há nenhum compromisso com o termo. 
Portanto Leopoldina continua com seus dados fechados a sete chaves como diriam os antigos. 
Vamos aguardar se no mês de fevereiro ha uma atualização dos dados de 2016 e de 2017.
Infelizmente não há fiscalização nesse sentido, apesar de ter uma lei que obriga a transparência em âmbito federal e uma municipal, que se não me engano é do ex vereador Emanuel Azevedo;
Portanto como o cidadão pode saber aonde está sendo gasto os recursos municipais?
Como ficamos sabendo o preço das obras?
Infelizmente a realidade é que se nem os vereadores tentam e consegue, como nós meros cidadãos podermos querer saber mais. Chego a conclusão que a LEI em Leopoldina realmente é diferente;



Reajuste de passagem de ônibus coletivo em Leopoldina o por que?

Como todos os aumentos realizados no país geram polêmica e até uma certa insatisfação com os mesmos, o aumento do transporte coletivo a partir de 21 de janeiro de 2017 em Leopoldina não poderia ser diferente.
A passagem da Viação Leopoldinense (JN Empreendimentos) que está em vigor a R$ 2,05 foi reajustada pela última vez em agosto de 2015 e estará em vigor até o próximo dia 21. Há uma mobilização na internet de pessoas criticando o aumento de 9,76%.
Mas as pessoas esquecem que dentro desse índice há vários fatores que contribuem para o cáculdo
Diesel                         13,5% (aumento setembro 2015 a janeiro 2017)
Salário Mínimo 2016 11,57%
Salário Mínimo 2017   6,47%
Inflação                        6,28%
Esses são os índices mais comuns, mas imagina o preço do óleo lubrificante, dos pneus, peças e outros produtos que compõem os cálculos das passagens e nenhum prefeito seria doido de dar reajuste sem as planilhas em mãos, além do mais ainda há a gratuidade de usuários conforme a lei federal, estadual e municipal exige.
Sei que muitos irão me criticar por estar aqui explicando o porque do aumento e na realidade o tema por atingir uma boa parte da população é polêmico e há uma tendência de políticos, imprensa e alguns setores aproveitarem para criticarem a empresa concessionária. Na realidade alguns nem sequer andam de ônibus urbano e nem sabem os trajetos, eu como um usuário que usa pouco também não posso falar muito, mas tenho a consciência que há necessidades de melhorias sim, há necessidade de melhor atendimento em alguns setores, mas se você, como eu viveu os tempos passados sabe que houve uma melhora sim no transportes, no número de bairros atendidos e principalmente levando em conta o caos das vias públicas na cidade em termos de manutenção imagina o quanto se gasta em manutenção e depreciação dos veículos. 
Muitos comentários maldosos são feitos, mas poucos dão valor a um motorista ou trocador que saem do ônibus para ajudar uma senhora, um cadeirante, uma pessoa com deficiência, pois criticar é mais fácil e trás mais retorno, já disse e repito noticia boa não dá ibope na maioria das vezes.
A Viação Leopoldinense (nome fantasia) tem uma concessão que não sei o prazo e deverá sim passar por compra de novos veículos, treinamentos de novos funcionários e isso é o mínimo que a lei exige, pois os veículos tem um prazo de vida útil na sua frota e não acredito que o empresário Valdir Antonio Teixeira deixará a seu nome ser denegrido por alguém. Hà alguns anos atrás, diga-se de passagem há bastante tempo, eu e o Amauri dos Santos (na época o programa Fala Garoto) visitamos a empresa e conhecemos um pouco a sua história, como funciona, deste aqueles tempos muitas críticas eram feitas e eu como sempre procuro saber dos dois lados envolvidos.
Veja os preços praticados na região até o momento e por certo terão reajustes ainda esse ano:
Por certo muitos irão dizer mas o transporte em determinada cidade é melhor, há ônibus com ar condicionado, com wifi, televisão e outros benefícios, mas veja a quanto tempo o preço que será praticado aqui já está em vigor em alguns lugares. Além Paraíba é um bom exemplo, o preço de R$ 2,90 e a cidade é bem menor que Leopoldina pelo que se sabe, portanto a área atendida e os quilômetros rodados devem ser menor também e recentemente iria passar para R$ 3,10 e foi revogado o aumento pelo atual prefeito. Ubá o preço e R$ 2,30 e se a pessoa tiver o cartão que pode ser adquirido por R$ 5,00 ou então recarregado sem custo para algumas viagens o usuário num prazo de 90 minutos poderá pegar dois ônibus, mas se for pago a dinheiro o preço é o estipulado para cada ônibus.
Acho que temos que tomar cuidado com a manipulação dos fatos para prejudicar ou beneficiar esse ou aquele setor, a imprensa muitas vezes, já disse e volto a comentar, em alguns casos utiliza-se de críticas ou ameaças para conseguir patrocínio, não to dizendo que aqui acontece, mas em âmbito nacional sabemos como funciona. Eu como não tenho vínculo com nenhum setor nem público, nem privado, como administrador sei o que é tocar uma empresa, sei o que é ter que comandar um funcionário, sei que as vezes atender ao público é a pior coisa para controlar. Fui gerente de um clube e sei que as vezes os funcionários ultrapassam os seus limites e a mão de obra em alguns setores é péssima e como eu era o gerente pagava o preço pelo erros dos outros a vida é assim.
Hoje pelo que sei a empresa tem onze linhas fixas e algumas extras em horários específicos e atende a praticamente toda a cidade. Quando tinha meu programa de rádio conversei com o empresário que chegou a comprar um micro-ônibus para fazer uma experiência em alguns locais, mas devido ao fatos de o micro e o ônibus ter que atender aos casos de pessoas gratuitas não é compensador para a empresa ter esse tipo de veículo e resolveu tirá-lo de circulação. Há muitas críticas sobre não se ter uma linha que passe pelo hospital e acredito que isso poderia até ser solucionando se colocando quem sabe um veículo circular por todos os bairros em horários que atenderiam ao horário de visitas na Casa de Caridade o mesmo poderia quem sabe subir ou descer pela Padre Júlio e em horários pre definidos, pois no horário de visita geralmente ficam os menos favorecidos pela sorte e que poderiam utilizar o transporte público, se bem que um estudo mais profundo teria que ser feito, já que como empresário e administrador tem que se olhar o custo-benefício e o retorno para a empresa.
O empresário Valdir Teixeira além de atender Leopoldina tem empresas para o lado da Bahia ou norte de Minas, Belo Horizonte e São Sebastião do Paraíso, empresas ligadas a família e constantemente está em viagem e a sua presença em Leopoldina é desde 1999.
Não sei os planos para Leopoldina da empresa e acredito que uma pesquisa poderia ser feita para ouvir a população, avaliando e adaptando aos anseios do povo leopoldinense e apesar de ver algumas críticas no sentido de falta de segurança, não tenho conhecimento de nenhum acidente grave envolvendo a empresa e há a necessidade de uma melhoria em um todo na infraestrutura da cidade, tanto na pavimentação, quanto nos pontos de ônibus para que a população seja atendida a contento.
Mais uma vez aviso que a partir do dia 21 de janeiro a passagem do coletivo urbano em Leopoldina será no valor de R$ 2,25 (dois reais e vinte e cinco centavos).

Atualizando uma informação:
Segundo uma internauta há uma lei que obriga os coletivos terem ar condicionado e fui verificar e há sim uma recomendação aprovada em junho de 2016:
Ouça a noticia da Rádio Câmara nesse sentido para maiores esclarecimentos

Febre amarela tem que se previnir... Leopoldina tem a vacina na rede publica...

Com o aumento de casos de suspeitas de febre amarela é necessário que a população fique atenta e veja se está em dia com a vacinação. Se você já foi vacinado em duas doses, sendo que antigamente o prazo de intervalo era de dez anos, você já está imune a doença. Mas caso não esteja em dia procure um posto de saúde e faça a atualização do cartão de vacinação. 
O jornal Folha de São Paulo publicou na última sexta feira a notícia em destaque: "Governo de Minas decreta emergência nem região com surto de febre amarela" destacando que o decreto atinge 152 cidades do leste de minas e aonde temos 133 casos notificados, 38 mortes suspeitas e as regionais de saúde envolvidas neste decreto são Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Manhumirim e Teófilo Otoni. 
febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vetores. Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. 
A transmissão é feita em áreas florestais, o vetor da febre amarela é principalmente o mosquito Haemagogus. Já no meio urbano, a transmissão se dá através do mosquito Aedes aegypti (o mesmo da dengue). Muitas pessoas que contraem a febre amarela não apresentam sintomas, e quando os apresentam, os mais comuns são:febre, dores musculares em todo o corpo, principalmente nas costas,  dor de cabeça, perda de apetite, náuseas e vômito, olhos, face ou língua vermelhada, fotofobia, fadiga e fraqueza. Os sintomas nesta fase aguda da doença costumam durar entre três e quatro dias e passam sozinhos.Devido ao risco da doença se desenvolver de forma hemorrágica, é importante evitar o uso de aspirina.
No entanto, uma pequena porcentagem de pessoas pode desenvolver sintomas mais graves cerca de 24 horas após a recuperação dos sintomas mais simples. Nesta fase chamada de tóxica, o vírus pode atingir diversos órgãos e sistemas, mas principalmente o fígado e rins. Os sintomas dessa fase são: Retorno da febre alta, Icterícia, devido ao dano que o vírus causa no fígado, Urina escura, dores abdominais, Sangramentos na boca, nariz, olhos ou estômago.Em casos mais graves o paciente pode apresentar delírios, convulsões e até entrar em coma.
Dependendo do dano causado no organismo, esta fase da febre amarela pode levar a morte no intervalo entre sete e dez dias. Por isso, pessoas que são diagnosticadas com febre amarela devem estar atentas ao aparecimento dos sintomas iniciais e observar se os sintomas mais graves se manifestarem, para busca de ajuda médica.
Os sintomas da febre amarela podem ser confundidos com malária, leptospirose, hepatite viral e dengue hemorrágica.
A vacina contra a febre amarela (17DD) é elaborada com o vírus vivo atenuado, sendo produzida inclusive no Brasil (Rio de Janeiro). É aplicada por via subcutânea na região deltóidea (braço). Em 95% das pessoas o efeito protetor (imunidade) ocorre uma semana após a aplicação e confere imunidade por, pelo menos, 10 anos (provavelmente por toda a vida). Está incluida nos Calendários de Vacinação e pode ser utilizada a partir dos 9 meses de idade. A vacina contra a febre amarela (anti-amarílica) está disponível na Rede Pública (gratuitamente => ver locais) e em clínicas privadas credenciadas. Deve ser aplicada, pelo menos, dez dias antes de qualquer viagem para áreas de risco.
Contra-indicações para se tomar a vacina:
Crianças com 4 meses ou menos de idade devido ao risco de encefalite viral 
Gestantes  em razão de possível risco de infecção para o concepto.
Pessoas com imunodeficiências resultante de doenças ou de terapêutica infecção pelo HIV, Aids, neoplasias em geral (incluindo leucemias e  linfomas)uso de medicações ou tratamento imunossupressores (corticóides, metotrexate, quimioterapia, radioterapia).
disfunção do timo (retirada cirúrgica ou doenças como miastenia gravis, síndrome de DiGeorge ou timoma).
Pessoas que tenham alergia:
 ovos => a vacina é preparada em ovos de galinha embrionados.
eritromicina => antibiótico que faz parte da composição da vacina.
gelatina => faz parte da composição da vacina.
reação alérgica a dose prévia da vacina.

sábado, 14 de janeiro de 2017

Moradores do bairro Cristo Redentor reclamam de veículos nas ruas desmontados e nenhuma providência

Moradores da Rua Laerte Araújo Mendonça, no Bairro COPASA, estão preocupados e pedem uma atitude urgente para uma oficina de carros no local que está colocando os veículos na rua e causando um tumulto na área. Segundo eles há veículos estão sendo deixados desmonstados na curva, causando transtornos enormes, como o risco de acidentes. A rua foi recentemente calçada e os moradores me informaram que a denuncia já foi feita na imprensa local, já estiveram pessoalmente por mais de uma vez com o chefe do departamento de trânsito da prefeitura, alguns já procuraram o próprio proprietário da oficina e nada foi resolvido.
Os moradores esclarecem que não querem prejudicar ninguém e nem atrapalhar o ganho das pessoas, mas a justificativa é devido a segurança e os transtornos causados pelo fato.
Moradores estão aguardando uma posição da prefeitura no caso, pois o setor de trânsito no momento não tem ninguém nomeado até o momento, sendo que há informações que o Geraldo Cervidanes deverá reconduzido ao setor, mas a partir de 23 de janeiro, pois o mesmo estaria de férias, caso até o final do mês não haja uma solução. Os moradores foram informados que já foi comunicado ao responsável da oficina dando prazo para retirar os veículos da via pública e não foi cumprido o prazo determinado e caso não haja uma definição do caso a partir de fevereiro os mesmos estarão procurando o Ministério Público para pedir providências. Alguns registros fotográficos foram me enviado da rua demonstrando o problema.



sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Em Brasília processo no TSE tem movimentação para advogado tirar cópias


Câmara Municipal de Leopoldina apresente balanço de atendimentos no setor de Identificação

Criado em 18 de março de 2016, através do convênio 59/2015/PCMG, celebrado entre o Poder Legislativo de Leopoldina e a Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, o Posto de Identificação Civil Roque Schettino funciona nas dependências da Câmara de Vereadores e é destinado ao atendimento da população.
São prestados os seguintes serviços: emissão de carteiras de identidade (1ª e 2ª vias), retificação de nomes, inclusão de fórmula datiloscópica e fornecimento de atestados de antecedentes criminais.
Em 2016, o Posto de Identificação Civil realizou 3.859 atendimentos ao público, com uma média de 20 assistências diárias, num período de 190 dias úteis. O mês com maior demanda foi julho, com 484 serviços prestados. Ao longo do ano, foram emitidas 3.043 carteiras de identidade.
O Posto de Identificação Civil Roque Schettino funciona na Avenida Getúlio Vargas, 565, de segunda a sexta-feira, no horário de 12:00 às 16:00 horas, e o atendimento é feito sem necessidade de senhas. O agendamento prévio somente é disponibilizado para pessoas de municípios vizinhos e pode ser feito pelo telefone (32) 3441 4706.

Prefeitura Municipal de Recreio faz processo seletivo simplificado

A Prefeitura Municipal de Recreio abre PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO, para contratação temporária de pessoal para compor o quadro de diversos setores deste município, conforme quadro descritivo componente deste Edital, pelo período de até 06 (seis) meses prorrogável por até igual período. Os cargos disponibilizados e quantidade de vagas são :
02 Professor de Informática,
11 Professor I,
02 Professor educação física,
01 Professor de artes,
01 Professor de história,
02 Pedagogo,
02 Farmacêutico bioquímico,
02 Psicólogo,
02 Assistente Social,
07 Agente controlador da Dengue,
03 Agente de saúde,
10 Auxiliar de Serviços Gerais,
05 Técnico de Enfermagem,
01 Médico Clínico do ESF,
02 Dentista do ESF,
01 Técnico de Higiene Dental,
07 Servente Escolar.
02 Nutricionista,
08 Motorista Carteira "D",
05 Técnico de serviços escolares
02 Operador de máquinas pesadas
As inscrições estarão abertas no período de 16 a 17 de janeiro de 2017, segimda e terça feira,  das 12:00  as 17:00 horas na sede da Prefeitura Municipal de Recreio, Rua Prefeito José Antonio n° 126, Centro, Recreio-MG.  Maiores detalhes sobre as documentações, salários, vagas para deficiente e outros esclarecimentos no edital no seguinte link: Edital do Processo seletivo 2017 

Energisa faz poda de árvores e outros comentários...


Conforme é de conhecimento de toda a população a ENERGIA está podando nesta época algumas árvores que estão atingindo a rede elétrica e essa atitude é para evitar que os galhos prejudiquem a rede. É muito comum neste período chuvas e ventos e com isso há risco de queda de fios, caso essa boda não seja feita. Na Rua Professor Joaquim Guedes Machado nesta sexta feira a empresa fez esse trabalho conforme o registro fotográfico.


Conforme já relatei em outra matéria o ponto de ônibus localizado na mesma rua está com problemas no seu calçamento. Os paralelepípedos estão soltando e com o peso dos ônibus, caminhões e veículos que trafegam na mesma há risco de se soltarem e atingirem alguma pessoa, bem como o próprio veículo. O local já passou por várias manutenções mas o problema volta constantemente. Lembro que de todas a linhas de ônibus que existem na cidade apenas uma não passa pelo local. Aguardamos uma revisão do setor responsável da prefeitura.



Hoje ao passar pelo bairro Quinta Residência próximo ao campo do bairro notei que há quebra mola sem nenhuma marcação na pintura, bem placa de notificação do mesmo. Os motoristas que não estiverem atento poderão ter alguns problemas com os seus veículos e também há o risco de um acidente, pois no susto, por estar em uma curva, poderá perder o controle do veículo e causar um acidente no local. Esse mesmo fato, falta de sinalização nos quebra molas acontece também no bairro São Cristovão na rua paralela ao campo do bairro. O pior é que há um setor específico para esses serviços na prefeitura municipal de Leopoldina, em alguns casos eu pessoalmente já falei com o responsável pelo setor no ano passado.

Os usuários do Transporte Coletivo local se preparem para o aumento autorizado pela prefeitura municipal de Leopoldina, de acordo com a planilha de custos apresentada a mesma pela empresa JN Empreendimentos (viação Leopoldinense). O reajuste de R$ 0,20 centavos levará a passagem para o valor de R$ 2,25 (dois reais e vinte e cinco centavos) sendo que entrará em vigor no dia 22 de janeiro provavelmente. Alguns usuários reclamam da falta de veículos novos e das condições dos veículos em termos de segurança e querem promover uma manifestação, inicialmente utilizando a rede social. Acredito que a manifestação é saudável e melhoras são sempre bem vindas, mas é preciso também levar em conta que houve aumento de combustíveis recentemente e há previsão de novos aumentos, além de outros fatores que entram na planilha de custos e outra coisa, além da parte da empresa é necessário que a população também ajude a conservar os veículos pois é de uso coletivo. E há tempos não tenho contato com o proprietário da empresa Waldir e acredito que sempre esta aberto ao diálogo com a população tentando atender as demandas e as queixas da população.


POMAR de Leopoldina abrindo as portas e esclarecendo dúvidas de Leopoldinenses

POMAR Frutas e Polpas Matriz
Conforme havia prometido nesta sexta feira estive visitando a POMAR na BR 116, a mesma foi objetivo de uma matéria no meu blog pedindo informações sobre o seu funcionamento, por conta de cobranças da população e do Carlos Odilon em um de seus comentários. Após a matéria a responsável pelo setor de vendas da POMAR, Lúcia Arlete Rodrigues, entrou em contato e me pediu para visita-la e conhecer a realidade da mesma e que algum ponto da matéria não condizia com a verdade.
Acesso área DNIT
Nesta sexta estive presente a empresa e visitei todos os setores da empresa que tem seu nome Pomar Frutas e Polpas Ltda. ME e se divide em matriz e filial. No caso a matriz ficou sendo a Lanchonete (que iniciou as atividades em 2010) por questões jurídicas e para poder ter um ponto de venda direto ao consumidor de seus produtos e outros produtos relacionados à área. Na visita pude ver o local, com banheiros adequados a deficiente, com fraldário no feminino e tudo que se precisa num banheiro de comércio, a lanchonete por objetivo escoar a produção de poupas e sucos produzidos pela empresa e segundo o gerente da mesma há um bom movimento diário, no seu funcionamento de 07 as 19 horas diariamente, com turnos de funcionários conforme pede a lei. Segundo ele o acesso por ser na beira da rodovia chama a atenção e me explicou que um dos pontos falhos é a falta de asfaltamento entre a rodovia e uma parte da empresa, pois por ser de responsabilidade do DNIT nada pode ser feito sem sua autorização.
Área de despolpadeira da Pomar
Em seguida fui em direção à parte industrial da empresa que teve seu funcionamento inicial a partir de 2011 e durante a conversa Lúcia me explicou que na doação do terreno, no governo do prefeito Bené Guedes, há uma cláusula que deque a empresa gerasse de 10 a 15 empregos, não se especificando se na matriz ou filial e hoje a empresa conta com 16 funcionários na ativa e ainda um afastado por questões de saúde, além de sua filha Gabriela Rodrigues que é a responsável direta pela empresa na parte administrativa, sendo que cuida de todos os setores de compra, produção e de toda área administrativa. Aproveitei e visitei a área de despolpamento das frutas, de empacotamento das polpas e conheci a Caldeira que é abastecida por madeira legalizada.
Envasadora de sucos
Lúcia Arlete, explicou que o boato que a lanchonete teria sido arrendada é pelo fato da sua filha, Gabriela Rodrigues, quando estava estudando administração no período de 2010 a 2014 ficava diretamente a frente do controle da mesma, inclusive no caixa, após sua formatura a mesma passou a cuidar internamente do negócio e foi contratado um gerente para cuidar desse setor, inicialmente um de Cataguases e hoje um leopoldinense.
Aréa da Caldeira
Hoje a empresa além de vender polpas de fruta, fabrica produz suco também em quatro sabores e o seu maior produto em aceitação no momento é o de sabor Guaraná.  Conheci todos os setores de produção de polpa e de produção do suco, sendo que nesta sexta apenas o setor de produção de suco de guaraná estava em funcionamento, por questões logísticas.
àrea de embalagem de polpas
No local pude ver que há três câmeras frias (uma para guarda de matéria prima, uma para congelamento das polpas e outra para conservação das polpas após o primeiro processo) e há uma área de expedição.
Na conversa perguntei de onde são adquiridas as frutas que produz a polpa e os sucos e a mesma me esclareceu que já esteve conversando com o pessoal da EMATER e espera estreitar os contatos visando estudar a possibilidade de juntos  criarem um projeto incentivando a cultura da fruticultura na cidade, sendo que o clima não favorece algumas frutas, mas acredita que na cidade poderia se ter maracujá (que é o de maior aceitação e venda da empresa), acerola e outros tipos de frutas que poderiam se adaptar a nossa região. Foi esclarecido que muitos acreditam que basta plantar e revender, mas por questões de normas técnicas há a necessidade de a empresa observar o Brix (é uma escala numérica que mede a quantidade de sólidos solúveis em uma solução de sacarose. A escala Brix é utilizada na indústria de alimentos para medir a quantidade aproximada de açúcares em sucos de fruta, vinhos e na indústria de açúcar) e há uma escala que ela tem que seguir, portanto através dessa medida não há se acrescenta nenhum açúcar artificial na polpa ou no suco.
A empresa esclareceu quais são seus fornecedores:
Acerola da cidade
Acerola e Hortelã – são adquiridas de Leopoldina
Abacaxi – parte comprada através de um comerciante de Leopoldina que compra no CEASA JF, do sul de minas e Campos (RJ).
Mamão – através de um comerciante de Leopoldina que compra no CEASA Juiz de Fora.
Maracujá – adquire de uma cooperativa de São Francisco do Glória e quando não há produção negocia com fornecedores da Bahia.
Açaí – do Pará
Cacau – compra de uma cooperativa que já vem despolpado
Graviola – de Cataguarino e região de Cataguases
Morangos  comprados
da Cooperativa de Alfredo Vasconcelos
Manga – região de Astolfo Dutra
Pêssego e Uva – uma cooperativa do Sul de Minas e do Rio Grande do Sul
Morango – Alfredo Vasconcelos - Sul de Minas
Goiaba – região de Cataguases
Blueberry (Mirtilo) e framboesa de Venda Nova do Imigrante (ES)
Há ainda fornecedores de fora de Amora e Cupuaçu.
A mesma esclareceu que muitos acreditam que as frutas tem que ser vistosas e deu o exemplo o maracujá todos imagina que o importante é o tamanho, para a polpa o importante é o grau do brix, e às vezes a uma casca muito grossa e por dentro pouca fruta e geralmente o que eles notam é a qualidade interior. Disse que a média comprada é de 500 quilos de frutas, pois é o que a produção consegue mexe com os atuais funcionários, que não adiantaria compra um caminhão e não ter funcionários para fazer o trabalho e a preocupação é ter tudo legalizado, tanto na área trabalhista como na área governamental com vários certificados do meio ambiente e outros.
Balde de 20 litros de xarope de Guaraná
venda para Varginha 500 baldes semanais são
emtregues
Quanto a sua venda perguntei se há um retorno na cidade de Leopoldina e ela me disse “no nosso caso, santo de casa faz milagres”, explicando que os pontos de vendas pequenos como lanchonetes, padarias e outros compram um bom volume. Ao ser questionado por que nos mercados não temos seus produtos ela disse que acredita ser por questões fiscais, pois por ser do Simples não há interesse das redes e supermercados, citando que já manteve contato com o Fonte Supermercados, Mercado Seminário e Bahamas, mas não houve andamento nas negociações. Esclareceu que seu maior ponto de venda é a lanchonete com os viajantes que passam por Leopoldina e há ainda Supermercado Pioneiro e Levate de Muriaé, Lanchonete de Maripá de Minas, atende ainda Além Paraíba, Cataguases, Varginha e Governador Valadares.
Refrescos produzidos com distribuição em
Juiz de Fora,Manhuaçu, Governador Valadares,
Muriaé e outras cidades

Após a conversa a mesma me mostrou documentos que provam o registro de seus funcionários e queria abrir até para mim o seu faturamento, no qual disse que não era meu foco. Lúcia Arlete na conversa disse que hoje a sua produção é toda escoada e tem a intenção de ampliar o negócio, mas para isso precisaria aumentar o sua construção e que vive a realidade do momento, focalizou a contratação de pessoal mais jovem dando a oportunidade de primeiro emprego, que a rotatividade (exceto na lanchonete) é baixa e que há funcionários que já saíram e retornaram a empresa. A mesma lamenta que várias vezes já fossem motivo de críticas em programas de rádio, em denuncias aos órgãos do meio ambiente e que sempre ao ser fiscalizado teve o aval e a comprovação de seguir todas as normas legais para a sua área. Ressaltou que a empresa tem uma estrutura sólida e que a administração de sua filha visa dar segurança ao negócio e não há o risco no mercado, caminha passo a passo e que o seu crescimento será gradativo e contínuo. Agradeceu a visita e tive a oportunidade de esclarecer a mesma que em conversa com o Carlos Odilon (Kalon Morais) o mesmo esclareceu que como homem da imprensa é cobrado constantemente pela população sobre a cidade se transformar em a área rural voltada para a fruticultura, conforme foi anunciado no governo de Bené Guedes e por isso citou a POMAR que era um foco da época.  Lúcia Arlete explicou que a sua parte ela esta fazendo que seja gerar emprego e renda e que não depende dela o cultivo das frutas na cidade e que quando há matéria prima em Leopoldina ela dá preferência na compra. Aproveitou a oportunidade para que transmitisse o convite ao Carlos para visitar e conhecer a empresa. Disse que realmente fica chateada quando vê matérias como a que eu fiz falando sobre a empresa, mas que eu ao contrário de outros que a criticaram não procuraram a empresa para esclarecimentos. Ressaltou que a Lanchonete não é para atrapalhar ninguém, mas como as grandes empresas têm é uma forma de venda direta e que há espaço para todos no mercado e que está sempre pronta para ajudar a Leopoldina no desenvolvimento da cidade e no engrandecimento do nome de Leopoldina.